Publicado em: 23 de maio de 2021
Morada de Deus

Para: domingo, 23 de maio de 2021
Texto: João 14.23-31  

A pessoa que me ama obedecerá à minha mensagem, e o meu Pai a amará. E o meu Pai e eu viremos viver com ela. (Jo 14.23) 

É natural que cuidemos da casa onde moramos. Quando ela está suja, nós a limpamos, quando está desarrumada, arrumamos, quando  estragos e deterioração, consertamos e reformamos. 

Jesus disse: “A pessoa que me ama obedecerá à minha mensagem, e o meu Pai a amará. E o meu Pai e eu viremos viver com ela” (Jo 14.23). Porque nos ama, Deus quer morar em nós. Porém, somos totalmente indignos da habitação de Deus e não podemos fazer nada para mudar isso. Somente Deus pode. Por isso, ele enviou seu Espírito no dia de Pentecostes como está registrado no livro de Atos dos Apóstolos, capítulo 2. Desde aquele dia, ele continua enviando o mesmo Espírito para nos fazer acreditar na Palavra de Jesus. E o Espírito Santo não faz apenas uma reforma em nós. Ele nos faz nascer de novo, por meio do perdão dos pecados, possibilitando que sejamos a morada de Deus. 

Esse é o consolo do Pentecostes. Se no Natal comemoramos o fato de Jesus ser o EmanuelDeus conosco, no Pentecostes celebramos a vinda do Espírito Santo para permitir que o próprio Deus Pai, Filho e Espírito Santo habite em nós.  

Não importa quais sejam os nossos pecados ou as nossas imperfeições. Também não importa quem sejamos ou quais grandes coisas temos ou o que fazemos. A realidade para todos é a mesma: por meio da Palavra de Cristo, o Espírito Santo faz com que as pessoas se tornem a morada de Deus. E Deus habita na vida de seus filhos não só nos momentos tranquilos, mas também nas aflições, conforme ele disse por meio do profeta Isaías: “Eu moro num lugar alto e sagrado, mas moro também com os humildes e os aflitos, para dar esperança aos humildes e aos aflitos, novas forças (Is 57.15). 

Oremos: Ó Espírito Santo, preserva-me como tua morada, juntamente com o Pai e o Filho, um só Deus, agora e sempre. Amém.